Back to NewsBoard
Entrevista a Teo Sardà, CEO de Sphera Global Health Care

ENTREVISTA A TEO SARDÀ, CEO DE SPHERA GLOBAL HEALTH CARE. PUBLICADO EM F MAGAZINE ANGOLA A FEVEREIRO DE 2016

 

February 2016. A Sphera Bluoshen nasceu há 10 anos com o objectivo de aproximar a melhor medicina internacional a qualquer parte do mundo. Facilitar um acesso seguro e eficaz à medicina de alto nível. A Sphera Bluoshen oferece serviços de saúde local e internacionalmente, através de centros médicos locais próprios e uma rede global que inclui os especialistas mundiais de maior prestigio, os hospitais com os melhores equipamentos e as tecnologias mais avançadas. Como especialistas em serviços de saúde, o nosso trabalho não se reduz a facilitar o acesso à medicina de excelência. Oferecemos uma assistência integral, assessoramos o paciente em todas as fases do procedimento, responsabilizamo-nos pela coordenação completa do caso e realizamos um acompanhamento absolutamente personalizado, tanto se o caso se desenvolve dentro do circuito dos nossos centros locais, ou dentro da nossa rede internacional, através de uma viagem ao estrangeiro.

 

Em que consiste a globalização da assistência sanitária?
A assistência sanitária é talvez dos aspectos mais morosos de globalizar, considerando que os sistemas de saúde são muito heterogéneos per si. É extremamente difícil, em termos de tempo e custo, para um país, oferecer serviços de saúde avançados em todas as especialidades ou áreas de tratamento. Faz muito mais sentido associar centros médicos complementares em todo o mundo para conseguir uma oferta completa e altamente especializada. As novas tecnologias e o exponencial desenvolvimento das mesmas será o grande ponto ligação para essa aproximação e consequente homogeneidade. E neste aspecto, a Sphera Bluoshen tem vindo a desenvolver diferentes ferramentas tecnológicas e, sem dúvida, queremos marcar presença neste processo tão importante para a humanidade.

Que actividade realiza a empresa em Angola?
A empresa assumiu como missão “fazer a ponte entre o melhor da medicina internacional e a população angolana, ou residente no país”, através dos seus principais objectivos: Instalação de infraestruturas médicas locais (Rede de Centros Médicos e de Diagnóstico); Gestão transversal e profissionalizada de procedimentos no âmbito da saúde, quer a nível local, quer no exterior; Pólo de atração de médicos de reconhecido prestígio internacional a Angola, para consulta local de pacientes e, simultaneamente, partilha de conhecimento com a comunidade médica local. O nosso conhecimento do mercado angolano, das suas necessidades e idiossincrasias levou-nos ainda a desenvolver uma série de produtos e serviços médicos pensados para optimizar a oferta a diferentes colectivos, sejam eles entidades públicas ou privadas, garantindo localmente a confiança percebida internacionalmente, sem nunca perder o vínculo ao exterior, que faz com que os nossos serviços sejam absolutamente contínuos e integrados.

Qual o estado atual das infraestruturas e serviços de saúde em Angola?
Apesar de se estar a realizar um grande esforço para proporcionar infraestruturas e serviços médicos de qualidade, existe ainda um longo caminho a percorrer e muitas oportunidades de desenvolvimento, melhoria e optimização de diferentes serviços. O sistema de saúde público e o privado devem encontrar sinergias para construir um modelo sanitário eficiente e com futuro para os angolanos. Um dos objectivos em comum será, sem dúvida, garantir o acesso a uma cada vez maior percentagem da população.

Como tem vindo a mudar o paciente angolano nos últimos anos?
Notamos que os pacientes são cada vez menos passivos, são mais exigentes. O acesso à tecnologia permite-lhes estar mais informados, mais conscientes globalmente, e como tal, querem ser tratados pelos melhores especialistas, e valorizam imensamente a personalização local e os serviços complementares que lhe oferecemos. Na Sphera Bluoshen, um dos pilares que nos diferencia em termos do processo de atenção ao paciente é exatamente a comunicação, informação e as opções médicas orientadas e de custo controlado. Desta forma, conseguimos em todo o momento a optimização da qualidade vs. custo e, consequentemente, a satisfação do paciente.

Que papel tem a tecnologia na prestação de serviços médicos?
Na Sphera Bluoshen estamos convencidos que as novas tecnologias (telemedicina, videoconferências, apps…) servirão, cada vez mais, para cobrir o incremento na procura dos melhores profissionais em tempo real, e desde qualquer parte do mundo. Nos últimos anos é visível a mudança dos nossos pacientes, exigem mais e melhor informação sobre as suas problemáticas, as diferentes opções de tratamento e/ou prevenção, os possíveis efeitos secundários, entre outros aspectos. Querem ter uma maior capacidade de decisão sobre a sua saúde, são mais interventivos, comparam e exigem o melhor e mais eficaz, sem importar onde estão. Na Sphera Bluoshen somos conscientes destas necessidades dos dias de hoje e, como tal, disponibilizamos aos nossos clientes diferentes canais de comunicação: plataforma virtual, telemedicina, app, mobile-health, que será lançada muito em breve, entre outros “segredos tecnológicos” que estamos a preparar.

Com as alterações ao modo de vida que a sociedade tem vindo a sofrer nos últimos anos, e falando em especial no caso da mulher angolana, quais são as maiores preocupações identificadas pela Sphera Bluoshen?
A mulher angolana de hoje em dia ampliou as suas preocupações a nível de saúde e do seu bem-estar geral. No entanto, o foco principal ainda continua a ser a maternidade e todos os factores relacionados, como as consultas de ginecologia e de pediatria. Também identificamos uma preocupação cada vez maior na área da prevenção, em especial nas doenças exclusivamente femininas, como o cancro da mama ou do colo do útero. De forma cada vez mais frequente, a mulher angolana interessa-se por temas como a nutrição, e a adopção de um healthy livestyle. Esta recém-reforçada curiosidade e preocupação leva à necessidade de ter disponível um serviço de apoio constante, monitorização, esclarecimento de dúvidas, workshops, sobre os mais diversos temas femininos.

Qual a importância da Medicina Preventiva?
Muitíssima. A medicina preventiva permite detectar possíveis alterações no estado de saúde das pessoas. Uma revisão médica anual é extremamente importante em qualquer fase das nossas vidas e na Sphera Bluoshen preocupamo-nos em transmitir esta necessidade e inculcar este conhecimento. Proporcionamos os mais avançados sistemas de diagnóstico aos nossos pacientes, falamos cada vez mais da importância da genética, da biotecnologia, da medicina anti age, mas, sobretudo, nunca devemos esquecer que a prevenção passa pela consciencialização, pela informação e por uma mudança de mentalidade, aspectos nos quais a Sphera Bluoshen espera claramente conseguir marcar a diferença.

Quais são os critérios sob os quais a Sphera Bluoshen desenvolve as suas acções de Responsabilidade Social Corporativa?
Uma das bases da nossa filosofia, e um dos objectivos mais importantes da empresa desde o início, tem sido consolidar o nosso plano de Responsabilidade Social Corporativa e fortalecer também, desta forma, a ligação que temos com Angola. Através deste trabalho, temos estabelecido importantes linhas de ação que envolvem todos os factores da nossa cadeia de valores. Isto significa um compromisso com a melhoria dos serviços de atenção sanitária local a todos os níveis, sempre com o objectivo último de melhorar a qualidade de vida dos angolanos. Neste trabalho, a Sphera Bluoshen conta com o apoio de importantes instituições, como é o caso da Clinica Oftalmológica Barraquer, através da sua Fundação, o Instituto Fernández-Vega, com os quais já contamos com diversas expedições em África, duas delas em Angola.

 

Publicado em F Magazine Angola a Fevereiro de 2016